You call madness, I call dreams
Home About Textos Tumblr Dúvidas
THEME ©
"Lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente." -William Shakespeare

Sabe de uma coisa? Não, você não sabe. Vou te contar. Eu ando tão sensível. Precisando assim de uma palavra suave, de um gesto inesperado - e belo. Você consegue me surpreender de um jeito bom? Diz que sim, preciso tanto de você. Que coisa louca essa: a gente precisa de alguém. Mas, sabe, a gente sempre precisa de alguma coisa que nos coloque no eixo. Ando meio fora dos trilhos, se é que você me entende. Andei pensando na vida - é, sei que isso dá calafrios…
Clarissa Corrêa. (via estalagmite)
Então eu pensei em você. E quis me teletransportar pra perto. Pra fazer a cena que eu decorei: eu abraçada em você, passando a mão no seu rosto, te dando o meu sorriso-coração-tá-pulando e te beijando o nariz. Nariz? É, nariz. Beijo meigo. Aqueles de quem ama mesmo e quer cuidar e dar beijo carinhoso. E eu imaginei o seu sorriso bonito como retribuição, aquele seu olhar apertado e sincero e um te amo saindo por entre seus lábios. Foi a glória. Minha mão pela sua boca e um te amo também saindo pela minha boca. Beijo na boca. Glória de novo.
Clarissa Corrêa.  (via citografou)
Mas quer saber a verdade? Eu quero você, só isso. Com esse teu jeito marrento, estranho, misterioso. Quero te desvendar, te trazer pra mim. Eu gostaria de poder falar ao teu ouvido que me sinto feliz com você, gostaria de pedir que não fosse embora nunca porque é de você que eu preciso. Eu só quero muito te fazer meu, assim como sou tua.
Sobre o meu amor. Clareiras.  (via citografou)
Quando você se apaixona, você enlouquece. O mundo fica diferente. Você faz tudo por aquela pessoa.
American Horror Story.  (via citografou)
E eu quero muito. Muito. Porque você tem a voz mansinha e só fala coisa inteligente. E você é cínico sem ser maldoso. Mas não, não. Estou morrendo de vontade de ser eu, mas ser eu só tem me feito perder e perder. E eu quero ganhar. Só dessa vez. Chega. E eu quero me dar de bandeja pra você. Chega de fazer tudo errado. E eu te espio da janela, indo embora. E quero berrar o quanto gosto de você. E te pedir em namoro. E rasgar sua roupa. E dormir enroscada no seu cabelo.
Tati Bernardi  (via citografou)
Acho engraçado quando algumas mulheres perguntam sobre um cara ”ele tem carro?”. Elas preocupadas com o carro, e eu aqui torcendo pra ele ter no mínimo um coração.
Tati Bernardi (via overdose-de-textos)
Bebi demais esse fim de semana. Tanto que quase esqueci meu nome, e nem me lembro de algumas fotos tiradas com as amigas, ah maldito facebook que me recordou delas. Malditas marcações. Mas esse foi o remédio, foi a unica maneira de esquecê-lo por algum tempo, eu tinha que me preocupar com as pessoas em volta, ou com o simples fato de onde colocar os pés, assim me ocupei por um tempo. Até que o efeito da bebida passace e eu tivesse vontade de correr e quebrar a garrafa vazia na cabeça dele, por que cheia do minha preciosa vodka seria um enorme desperdício. Se não fossem meus amigos o tempo todo me distraindo, eu teria feito muita besteira, obrigada garotos. Aquela sensação de anestesia moral me fez bem, me fez me libertar e abraçar as sensações de euforia e alegria de uma vida toda, me fez sentir que nunca é o fim, que ele estava ali e me incomodava, mas não me limitava, bêbada e beijando uma garota no canto da balada eu percebi que a vida é grande demais pra se prender a um erro, que pessoas vão e vem e que do meu sorriso cuido eu. Percebi que amigos valem mais que paixões e que misturar varias bebidas só é ruim na manhã seguinte.
— Eu bêbada sou uma tragicomédia. Cheia de filosofias de boteco e ideologias achadas no pacote de salgadinho. (via apartamento02)
É, Deus…
Parece que vai ser nós dois até o final.
Los Hermanos.    (via attemmpt)